terça-feira, 23 de agosto de 2016

Cuidados Intensivos de Enfermagem ao Paciente com TVP

Você sabia que todo o profissional da saúde tem seu papel na TVP, saiba um pouco mais sobre o trabalho da enfermagem conosco.


  • Deve-se estar atento a queixas de tosse, dispnéia, hemoptise; 
  • Observar presença de cianose; 
  • Ficar atento a quedas de saturação de oxigênio; 
  • Medir diariamente a circunferência do membro afetado; 
  • Avaliar a perfusão do membro afetado; 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Diagnóstico diferencial

Em medicina, diagnóstico diferencial é um método sistemático usado para identificar doenças. É feito, essencialmente, por processo de eliminação. Nem todo diagnóstico médico é diferencial.

Existe uma série de fatores necessários prévios à emissão de um diagnóstico diferencial. Em primeiro lugar, o processo não é unilateral, então requer sensibilidade e responsabilidade de ambas as partes: profissional e paciente.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Diagnostico de TVP laboratorial

O diagnóstico laboratorial baseia-se na busca de marcadores da coagulação e da fibrinólise e de distúrbios da coagulação congênitos ou adquiridos, especialmente em pacientes jovens, com história pregressa ou familiar. Embora as enzimas ativadas da coagulação e fibrinólise sejam transitórias, subprodutos de sua ativação podem ser mensurados. O D-dímero, produto da degradação da fibrina pela plasmina reflete a atividade fibrinolítica e a presença de trombos no interior dos vasos.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Diagnóstico de TVP por imagem

Tipos de diagnóstico da TVP

O método ideal para diagnóstico de TVP seria aquele com altas acurácia, especificidade e sensibilidade, com alto valor preditivo. Além disso, deve ser seguro, de baixo custo, com mínimo desconforto para o paciente, portátil, facilmente aplicável e interpretável, com resultado imediato; deve, ainda, ser capaz de detectar coágulos em veias superficiais e profundas dos membros e nas veias de pelve e abdome. É necessário que faça a diferenciação entre coágulos recentes e antigos, oclusivos ou não, se há cauda livre do trombo (trombo secundário), se há ou não recanalização, sua extensão e se há comprometimento valvar. Nenhum dos métodos utilizados atualmente consegue preencher completamente estes critérios.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Tratamento convencional da trombose venosa profunda proximal: ainda é uma boa opção?


Os objetivos do tratamento da trombose venosa profunda (TVP) são prevenir ocorrência de embolia pulmonar, síndrome pós-trombótica e recorrência da TVP. Para tal, vários tipos de tratamentos estão disponíveis no arsenal terapêutico.

O tratamento conservador tradicional inicial seria feito com heparina não fracionada (HNF) ou heparina de baixo peso molecular (HBPM), seguido de varfarina (antagonista da vitamina K, AVK) em longo prazo. Outro tratamento empregado, em especial para casos mais graves e extensos, seria o tratamento fibrinolítico (alteplase/Actilyse), seguido de anticoagulantes. Além disso, para esses casos, a trombectomia venosa com cateter de Fogarty seguida de anticoagulantes poderia ser uma alternativa. Mais recentemente, o pentassacarídeo e uma série de novos anticoagulantes, chamados de NOACs (new oral anticoagulants) e posteriormente denominados de DOACs (direct oral anticoagulants), foram testados e vêm gradativamente sendo usados no tratamento da TVP e da embolia pulmonar.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

EXAMES DE IMAGEM MAIS IMPORTANTES PARA A TVP

IREMOS SEMPRE ATUALIZAR NOSSOS SEGUIDORES SOBRE AS NOVAS DIRETRIZES DA TVP - 2016

Eco Doppler colorido (EDC)

O EDC venoso é o método diagnóstico mais frequentemente utilizado para o diagnóstico de TVP em pacientes sintomáticos. Apresenta menor acurácia em veias distais, em veias de membros superiores, e em pacientes assintomáticos. É o exame de escolha para o diagnóstico de TVP, com sensibilidade de 96% e especificidade de 98- 100%, em substituição à venografia. Utiliza-se a ultrassonografia em tempo real para avaliar a ausência ou presença de compressibilidade das veias e a ecogenicidade intraluminal. O EDC avalia a anatomia, a fisiologia e as características do fluxo venoso, combinando imagem em tempo real e a análise espectral. A acurácia do EDC para diagnosticar TVP assintomática é menor em relação à TVP sintomática.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Benefícios da terapia de compressão

Os cuidados devem ser diários, e sempre observado de perto pelos seus médicos!!

Segundo Brandjes DP et. Al. Lancet 1997 e o Estudo da Associação Americana de Saúde Pública, o risco de desenvolvimento de síndrome pós-trombótica inclui inchaço nas pernas, dor e úlceras venosas após TVP é reduzido em até 50% com o uso de meias de compressão médicas.

O uso de meias SIGVARIS de compressão graduada ajuda a reduzir o risco de TVP ao melhorar o retorno do sangue venoso. A SIGVARIS se orgulha em fornecer produtos que oferecem um ajuste confortável e a força de compressão recomendada pelo seu médico.

Tratamento da trombose venosa profunda

O tratamento de uma trombose venosa profunda consistirá na prescrição de medicamentos anticoagulantes e no uso de meias médicas de compressão SIGVARIS 20-30 mmHg. Isto eliminará os sintomas rapidamente e de forma duradoura, e permitirá manter-se ativo e realizar as atividades da vida diária. Ambos os componentes do tratamento durarão por semanas ou meses. A terapia de compressão é a aplicação de pressão externa graduada controlada no membro para reduzir a pressão venosa dentro do mesmo. Esta pressão externa atua como uma camada muscular ao pressionar suavemente as paredes distendidas das veias ao mesmo tempo em que permite o fechamento das válvulas. O diâmetro da veia é reduzido, restaurando assim o fluxo sanguíneo para seu estado normal e auxiliando a circulação geral.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Cuidados que devemos ter com a trombose

Fatores de risco para TVP


  1. Histórico de TVP prévio ou de trombose venosa superficial
  2. Permanecer sentado por tempo prolongado ou mobilidade restrita, como no caso de viagens de longa distância
  3. Idade acima de 40 anos
  4. Cirurgia (especialmente ortopédica) ou lesão grave
  5. Repouso ou imobilidade prolongada
  6. Hipertensão
  7. Infarto ou derrame
  8. Insuficiência cardíaca congestiva
  9. Insuficiência respiratória crônica
  10. Sobrepeso
  11. Sedentarismo
  12. Tabagismo
  13. Veias varicosas
  14. Altos níveis de estrogênio, como na gravidez ou com o uso de pílulas anticoncepcionais
  15. Algumas formas de câncer

Os fatores de risco são cumulativos – quanto mais se tem, maior o risco.

O que é a SBACV e o que ela fala sobre a Trombose Venosa Profunda

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) é uma federação de sociedades regionais, considerada de utilidade pública.

A Trombose Venosa Profunda (TVP), conhecida como flebite ou tromboflebite profunda, é a doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias - vasos sanguíneos que levam o sangue de volta ao coração - em um local ou momento não adequados (devemos lembrar que a coagulação é um mecanismo de defesa do organismo). As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos). Os sintomas mais comuns são a inchação e a dor.

É uma patologia mais frequente em pessoas portadoras de certas condições predisponentes - uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, presença de varizes, pacientes com insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade ou a história prévia de trombose venosa.